Mobilidade urbana. Você sabe o que é MaaS?


Hoje é difícil encontrar alguém que não abra o aplicativo do Google Maps no celular para identificar a melhor forma de chegar a alguma parte da cidade. Este hábito já está consolidado e o tipo de serviço é prestado praticamente de graça por mais de uma plataforma. Praticamente de graça tendo em vista que paga-se pelo acesso à internet e, como sabemos, fornecemos dados que serão utilizados para múltiplos fins. Porém, a forma como utilizamos estas ferramentas está para mudar.


MaaS, sigla para o termo em inglês Mobility as a Service, ou mobilidade como serviço, já é uma realidade, e poderá mudar a forma como nos deslocamos nas cidades.


MaaS é a integração de vários meios de transporte em uma única plataforma. Para atender às necessidades do usuário, a plataforma disponibiliza diversas combinações de transporte para um mesmo destino, incluindo transporte público, bicicletas ou carros compartilhados, serviços de transporte como Uber, táxis, etc.


Certo, mas aonde está a diferença entre MaaS e o que o Google Maps já faz? A principal diferença está no sistema integrado de pagamento. Idealmente, todos os provedores de transporte farão parte do sistema, desta forma, o usuário poderá selecionar a combinação mais conveniente para chegar ao seu destino, avaliar o custo total do deslocamento e efetuar o pagamento de todo o percurso ali mesmo, no aplicativo da plataforma. Não precisará se preocupar em parar para comprar bilhetes nem realizar outros pagamentos durante o percurso.


O objetivo primordial do conceito de MaaS é fornecer alternativas ao uso de carros particulares. Na maioria das vezes, veículos particulares transportam apenas uma pessoa, sendo uma forma de transporte ineficiente que sobrecarrega o trânsito das cidades, além de emitir poluentes. Uma rede eficaz de transporte multimodal fatalmente contribuirá para a redução do trânsito, mas muito além disso, contribuirá para a redução da poluição sonora, poluição do ar e todos os problemas acarretados por estes fatores.


Um serviço de mobilidade de sucesso possibilita a criação de novos modelos de negócios, cria vantagens para usuários, prestadores de serviços de transporte, e governos. Através da coleta e análise de dados de deslocamentos, as partes envolvidas poderão identificar as demandas e falhas na provisão de transporte, tendo a oportunidade de melhorar a infraestrutura e o planejamento da mobilidade nas cidades.


Este sistema já foi implementado com sucesso em vários países. Desde 2017 os moradores de Helsinque na Finlândia podem utilizar o aplicativo Whim para planejar e pagar seus deslocamentos dentro da cidade. Na plataforma, os usuários podem pagar pelo serviço no formato de plano de assinatura, ou somente diante da demanda de deslocamento. O objetivo é tornar o serviço tão eficiente e conveniente, que as pessoas verão mais vantagens em deixar o carro em casa e utilizar diferentes meios de transporte para os deslocamentos do dia a dia. No ano de 2019 o aplicativo já contava com mais de 70.000 usuários cadastrados[1].


Interface do aplicativo Whim, utilizado na cidade de Helsinque na Finlândia desde 2017. Fonte: https://whimapp.com/


No Brasil, serviços semelhantes já estão em funcionamento, como por exemplo o Moovit, que hoje opera em mais de 140 cidades brasileiras e está presente em 98 países pelo mundo. Tendo em vista que ainda é preciso uma sólida integração de todas as partes envolvidas no processo, além da implementação de toda a infraestrutura necessária para o funcionamento das funções integradas, ainda não é possível realizar pagamentos através da plataforma no Brasil. Porém, esta é certamente a direção na qual caminha esta tendência.


Em uma publicação lançada em 2017 sobre MaaS[2], a empresa de consultoria Deloitte já considerava que a implementação de serviços de mobilidade é a evolução natural das tendências mundiais de mobilidade urbana. A construção de novas vias para o tráfego de veículos definitivamente não é mais a solução dos problemas comuns às grandes cidades: os intermináveis congestionamentos.

Os congestionamentos e os demais problemas acarretados pela quantidade de veículos circulando nas ruas das grandes cidades, é sem dúvida um dos mais urgentes problemas urbanos atuais.

Melhorar a mobilidade urbana de modo a torná-la mais eficiente, segura, confortável e justa deve ser uma das prioridades dos governos e a participação da iniciativa privada é fundamental. Se desenvolvido rápida e eficazmente, o conceito de MaaS poderá muito em breve transformar as cidades e a maneira com a qual seus habitantes se relacionam com elas.


Juliana Webel é Arquiteta e Urbanista formada pela Universidade Mackenzie e mestranda em Resource Efficiency in Architetcure and Planning na HafenCity Universität em Hamburgo, na Alemanha. Atuou por mais de cinco anos na área de consultoria de sustentabilidade, especialmente em canteiros de obras com baixo impacto ambiental. Atualmente trabalha na Alemanha na área de energias renováveis.


  1. [1] Fonte: https://www2.deloitte.com/us/en/insights/deloitte-review/issue-20/smart-transportation-technology-mobility-as-a-service.html

  2. [2] Fonte: https://www.forbes.com/sites/carltonreid/2019/03/28/netflix-of-transportation-app-reduces-car-use-and-boosts-bike-and-bus-use-finds-maas-data-crunch/#5c35b1914923

0 visualização
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

©2018 BY SEED SOLUTION.